Os seis padroeiros de Europa

Foto von Edith Stein als Studentin in Breslau (circa 1913Edith Stein als Studentin in Breslau (circa 1913) · © FotografIn unbekannt; Quelle: Wikimedia Commons

Os seis padroeiros de Europa

de Eberhard Fedtke e Ana Carla Gomes Fedtke

> Temos seis Santos de Europa, trés ­senhoras e trés senhores. Foram ­tudos escolhidos e instalados no ­Papado, em Roma.

O primeiro foi Benedicto de Nursia, nomeado padroeiro no ano de 1964 pelo Papa Paulo VI. Benedicto de Nursia foi laureado o «pai da vida monástica do ocidente». As suas Regras Benedictas não só foram o fundamento para a Ordem dos Benedictinos, mas para todas as ordens religiosas. Ele é considerado com o construtor e o inspirador do monarquismo ocidental. Morreu dia 21 de março de 547 em Montecassino, num mosteiro, onde nasceu a Ordem do Benedictinos. Os dias comemorativos em honra a este padroeiro são: dia11 de julho e 21 de março.

Os outros dois padroeiros são os Santos Kyrill e Methodius, nomeados pelo Papa João Paulo II. em 1980. Kyrill foi monge, Methodius bispo. Fizeram entrar na liturgia a lingua eslava, inventando, por isso, uma nova escrita eslávica. Kyrill morreu dia 14 de fevereiro de 869, Methodius no 6 de abril de 885. O dia da lembrança comum é o 14 de fevereiro na igreja católica, na igreja protestante e na igreja anglicana. Na igreja ortodoxa, as festas de comemoração são dia 14 de fevereiro para Kyrill, sendo assim um verdadeiro multi-padroeiro europeu, assim como o dia 11 de maio, junto com Methodius.

A próxima, escolha do Papa João ­Paulo II., em 1999, foi Catarina de Siena, intitulada Virgem consecrata. Foi sócia da Ordem dos Dominicanos, aparece no nº. 3. Trabalhou no setor eclesiástico e secular para a renovação da vida espiritual e promoveu com energia a volta dos Papas da enclave de Avignon para Roma. Morreu dia 29 de abril de 1380 em Roma, tendo, como dia da sua celebração, o dia 29 de abril.

Também em 1999 foram eleitas pelo Papa João Paulo II. a Santa Brigitta da Svecia e a Santa Teresia Benedicta de Cruz, conhecida com o nome alemão Edith Stein. Ela viveu os últimos 24 anos da sua vida, em Roma, onde trabalhou como conselheira de nobres e Papas. Morreu no dia 23 de julho de 1373 em Svecia. O dia de comemoração é o 23 de Julho.

A carta de visita de Edith Stein é significante: mãe, combatente para os direitos das mulheres, Carmelitana, mártire. Ela nasceu numa família judaica, estudou filosofia, passou num doutoramento com excelência e foi baptizada no ano 1922, entrando assim na igreja católica. Entrou em 1933 na congregação Carmel Maria de Paz em Colónia, fugiu dos Nazis, em 1936, para Echt, na Holanda, mas foi presa, aí, no ano  de1942, trasportada para Auschwitz, onde morreu dia 9 de agosto de 1942.  Esta data é o dia da sua comemoração, todos os anos.

Assim, temos uma panóplia de seis personagens brilhantes para agir como bons padroeiros europeus, todos com uma vida activa, criativa, corajosa, pacífica e ética para a sociedade  humana de hoje. Se hoje, em 2022, nesta situação conturbada, no continente, se precisar de mais representantes de paz e proteção, o Vaticano podia continuar com a sua tarefa reservada, até hoje, de nomear mais europeus famosos, para servir na custódia desta parte integral do mundo, com um história rica, digna, mas colorida também dos conflitos ensanguentados.

Schreibe einen Kommentar

Deine E-Mail-Adresse wird nicht veröffentlicht.